Prevenção de Lesões

“Uma grama de prevenção é melhor do que um quilo de cura” deve ser a regra de cada fisiculturista. Há uma linha tênue entre o excesso de uso e a distensão crônica por exercícios muito pesados.

O trabalho intenso pode levar a um dolorimento muscular residual ocasional ou a dor no complexo músculo-tendão. Esse tipo de excesso não é exatamente uma lesão, e a maioria dos fisiculturistas aceita como um sinal de que treinaram bastante. Contudo, se você está tão dolorido que quase não consegue se mover e a intensidade dos seus próximos exercícios tem que ser diminuída, você provavelmente exagerou.

Músculos que estão contraídos, cansados e doloridos são mais vulneráveis a lesão. Se você insiste em exercitar-se mesmo nestas condições, há uma boa chance de que você irá estirar ou romper alguma parte do complexo músculo tendinoso. A melhor prevenção nessas circunstâncias é o alongamento, gradual, aquecimento ou, quando a situação é grave, exercícios leves.

O alongamento envolve todo o complexo músculo-tendão, alongando-o de modo que se reduza a chance de que um movimento do exercício estire subitamente essas estruturas além dos seus limites e cause dano.

O aquecimento bombeia o sangue e oxigênio para a área e literalmente eleva a temperatura dos músculos envolvidos e permite que eles se contraiam com mais força.

O melhor meio de evitar lesões de treinamento é tendo o cuidade de alongar-se e aquecer-se antes do exercício e observar a técnica adequada quando usar cargas pesadas. Lembre-se, quanto mais forte você é, mais esforço você coloca sobre os seus músculos e tendões, mais freqüentemente o músculo ganha força mais rápido do que os tendões, criando assim um desequilíbrio que pode causar problemas. Você deve se permitir progredir com um ritmo razoável e não tentar treinar muito intensamente ou com muito peso sem uma preparação adequada.

Ainda não existem comentários.

Comente!