A importância dos nutrientes – Carboidrato

Ter o conhecimento dos nutrientes e suas respectivas funções no corpo é necessário para entendermos a importância da nutrição. Os seis nutrientes – Carboidrato, gordura, proteínas, vitaminas, minerais e por último a água – estão presentes nos alimentos que ingerimos e contém substâncias químicas que possuem suas respectivas funções: fornecem ao nosso corpo calor e energia, são os responsáveis pela produção do material necessário para o crescimento e reparo muscular.

Cada nutriente possui sua determinada função e relação com o nosso corpo, mas nenhum trabalha independente com o outro. Quase todos devem ser ingeridos em nossa dieta em porções variadas para que o corpo mantenha suas necessidades vitais. Podemos dizer que quase todas as pessoas necessitam ingerir os mesmos nutrientes, porém podem variar na quantidade, tendo como principais fatores desta variação a idade, sexo, peso, nível de atividade física, entre outras razões.

Uma breve história sobre o início do estudo na nutrição

É uma das observações mais antigas, que o indivíduo adulto, mesmo que recebesse grande quantidade de alimentos, não necessariamente aumentava de peso. Hipócrates, o grande médico grego, nasceu 460 a.C, pensava que isso se dava pela perda imperceptível de água (perspiração) e da eliminação de calor, que julgava uma forma delicada de matéria. Aristóteles admitia que o ser vivo criasse calor.

Foi necessário chegarmos ao século XVIII, para que Lavoisier demonstrasse a verdadeira origem do calor animal. Nesta época já haviam descoberto o gás Oxigênio. Foi então, nesta época que se pode concluir que o calor era proveniente de uma combustão, originada pela nossa respiração.

Carboidratos

Correspondem aproximadamente a 2% da composição dos nutrientes do nosso organismo. Principal fonte de energia para toda função do nosso corpo e esforços musculares e são necessários para auxiliar na digestão e na assimilação de outros alimentos. O carboidrato nos fornece energia imediata através da produção de calor do corpo enquanto as moléculas de carbono se unem as de oxigênio na corrente sanguínea. O Carboidrato também ajuda na regulação do metabolismo da proteína e da gordura; a gordura necessita do carboidrato para ser metabolizada pelo fígado.

Os principais carboidratos presentes nos alimentos são açúcar, amido, lactose e celulose. Dentre esses o que necessita de uma maior quebra enzimática é o amido, sua estrutura molecular é extremamente grande, seu processo de digestão inicializa-se na boca. A celulose, por sua vez, não sofre processo digestivo em nós humanos, pois não possuímos enzimas capazes de digeri-la. Quando, por exemplo, são ingeridas com frutas, verduras ou cereais, a sua maior parte permanece inalterada e fornece o resíduo e a massa essencial para o bom funcionamento do intestino grosso e a formação do bolo fecal.

Todo açúcar é convertido pelo suco digestivo em moléculas simples de açúcar, que são chamadas de Glicose. Algumas dessas são utilizadas como combustível por tecidos do cérebro, sistema nervoso e músculo. Uma parte da glicose é transformada em glicogênio e fica estocada no fígado e nos músculos; o excesso é transformado em gordura. Ao necessitarmos desse estoque de gordura nosso corpo a converte em glicose, sendo assim utilizada como uma fonte de energia, resultando na perda de peso.

A carência de carboidrato pode ocasionar Cetose (substância tóxica para as células, produzida quando o organismo usa os depósitos de gordura como fonte energética), perda de energia, depressão, e perda de proteínas essenciais para o funcionamento correto do organismo.

Os carboidratos correspondem, para nós, seres tropicais, o equivalente a quase 60% como principal fonte de energia. Isso se dá até mesmo pela história, aonde McCollum, chegou à conclusão, de que, conforme o salário baixava o consumo de alimentos ricos em carboidratos aumentava. Ou seja, alimentos ricos em carboidratos, são alimentos mais popularmente conhecidos e consumidos.

Como já mencionando anteriormente, o carboidrato é a nossa principal fonte de energia. Com isso podemos concluir que ao término de uma atividade física, devemos ingerir uma boa quantidade de carboidratos, pois nosso organismo estará necessitado de combustível, pelo fato da perda de todos os nutrientes para a realização da atividade física. Quando estes carboidratos são ingeridos de uma forma líquida, a absorção pelo nosso organismo se torna mais rápida e eficaz.

Ingerir alimentos ricos em proteínas após a atividade física é um erro, pois apenas em último caso, a proteína será utilizada como fonte de energia.

Fica esta dica para quem quer perder peso. Após a atividade física, não ingira tanto carboidrato, pois desta forma, o organismo irá fazer a quebra da gordura acumulada, em glicose, para que desta forma venha a ser utilizada como fonte de energia, ocasionando, de forma lenta, porém progressiva, a perda de gordura.

Ainda não existem comentários.

Comente!